Loomio

"Que não haja a imposição da religião"

FS Felipe Souza Public Seen by 222

Sob o princípio corânico da não imposição da religião (Alcorão 2:256) que afirmo: a religião jamais deve ser imposta, mas sim ser entendida enquanto um elemento processual de um sentimento individual, manifesto ou não, de acordo com um sistema tradicional ou não, e que deve ser aceita conquanto não denigra ou tampouco agrida outras pessoas. Ou seja: nenhuma religião ou grupo tem o direito de se imporem sob os demais. Um sistema religioso que procure ser livre de toda a forma de opressão pauta-se no reconhecimento do pensamento comunitário e na pluralidade complementar da experiência humana. Devido a tal multiplicidade que o Estado deverá ser laico, uma vez que não existiria nenhuma hierarquização vertical das crenças, mas todas estariam sujeitas aos mesmos princípios de coexistência, reciprocidade e abertura para o outro, combatendo a unidade de pensamento, a normalização e os modos de hetero-regularização - ou seja, um pensamento (laico) de anti-colonialismo cognitivo, religioso ou não.

B

Barney Wed 11 Mar 2015 5:11PM

“Porém, se teu Senhor tivesse querido, aqueles que estão na terra teriam acreditado unanimemente. Poderias (ó Muhammad) compelir os humanos a que fossem crentes?” (Alcorão 10:99) Falam que o Alcorão é muito bonito, sempre quis dar uma olhada

DU

[deactivated account] Wed 11 Mar 2015 5:13PM

ótimo texto @felipesouza !

FS

Felipe Souza Sat 14 Mar 2015 5:40AM

Uma referência que penso é nas "Utopias Piratas: piratas, mouros e hereges" do Hakim Bey. Penso que uma releitura das vivências em comunidade relatadas naquela obra, e pressupondo grupos distintos que formem uma comunidade contemporaneamente, poemos nos pautar por um princípio comum que, mais que laico e fundado nas divisões entre as crenças, reconduza à humanidade que compartilhamos.

PM

Philipe Mota Sat 14 Mar 2015 10:36AM

Referência ao Alcorão para embasar a Laicidade?! Dessa forma vc está sim impondo uma religião sobre as outras qdo diz q todos têm q seguir um princípio corânico!

O princípio de não imposição não pode estar atrelado a nenhuma religião sob pena de ferir a laicidade.

LS

Leonardo Sampaio Sat 14 Mar 2015 5:55PM

O parecer do @philipemota fez mais sentido pra mim.

DU

[deactivated account] Sat 14 Mar 2015 10:01PM

Gente fazer uma citação de uma interpretação laica de uma passagem do Alcorão não é impor o Alcorão, mas traduzir a discussão sobre laicidade para a linguagem dos fiéis desta crença.
A troca inter religiosa e com os de não crença é fundamental para um entendimento mútuo que creio ser essencial para a efetivação do Estado Laico.

FS

Felipe Souza Sun 15 Mar 2015 11:14AM

Minha intenção em citar o Alcorão é, além de ser expressão da minha fé na contribuição da formação de uma proposta laica, também um modo de referir-se a alguns dos piratas que predavam os europeus.

Discordo quando diz que o princípio da não imposição não deveria estar atrelado a nenhuma religião. Na verdade, o princípio da não imposição deveria estar presente em toda e qualquer religião. O estado laico é formado por diferentes sujeitos e atores, com suas concepções e suas formas de crença, não negando tais concepções e formas, mas incorporando-as, naquilo que possível, para a defesa de todas e todos.

Além disso, são filósofos islâmicos que irão teorizar sobre a unidade transcendente das religiões. Tal pensamento visa respeitar e considerar, através da elaboração de uma filosofia perene, todo pensamento religioso. Um estado laico não é sinônimo de cidadãos sem religião, enfim.

LB

Luana Bocchino Sun 15 Mar 2015 4:26PM

  1. Não vejo citar o Alcorão como uma afronta ao estado laico. Especialmente se é uma citação sobre o princípio de não imposição.
  2. Penso que um dos lados mais nefastos da imposição religiosa seja o cerceamento de liberdades individuais, como a expressão da sexualidade, no caso dos embates entre Bolsonaro-Feliciano contra os homossexuais. Mas não sei se bater de frente com essa linha de evangélicos seja a melhor estratégia. Será que propor uma coexistência não seria mais interessante - e duradouro? Pensando nisso encontrei isso aqui, que talvez seja um caminho: http://www.igrejacontemporanea.com.br/site/index.php?option=com_content&view=article&id=40&Itemid=253
B

Barney Mon 16 Mar 2015 3:06PM

também não vejo problema em citar passagens do corão. Sou ateu, mas não se deve "demonizar" as religiões, como tudo na vida, há coisas boas e ruins.

Sem o diálogo com as diversas religiões, nunca conseguiremos um estado verdadeiramente laico.

PM

Philipe Mota Thu 26 Mar 2015 4:34AM

@felipesouza Não podemos esperar que o princípio da não-imposição esteja presente em qualquer religião existente - ou por existir. Até porque a não-imposição não é um princípio necessário para que o Estado considere um movimento como religioso. O que vc escreveu sugere que o Estado só deveria reconhecer religiões que prezem pela não-imposição. E isso não seria uma atitude laica pelo Estado, uma vez que o Estado não deveria privilegiar nenhum movimento religioso. Mesmo que haja religiões impositivas, essas devem ser reconhecidas pelo Estado.

Portanto, mantenho minha crítica de que o princípio de não-imposição não deve estar atrelado a nenhuma religião. É um princípio laico. Não há nenhuma confusão em haver religiões que já pratiquem esse princípio. Porém, promover um princípio ressaltando o seu papel - ou presença - em uma religião específica é uma afronta ao Estado laico. Um paradoxo.

Não estou em momento algum sugerindo que em um Estado laico os cidadãos não tenham religião. Estou sim me atendo a definição de que um Estado laico não beneficia - ou tampouco se apoia em - nenhum dogma/ideal/pensamento religioso. Pois isso, por construção, seria privilegiar uma religião em detrimento das outras.

L

Lunatic0 Thu 26 Mar 2015 8:19PM

Acredito que uma forma de firmar a laicidade do Estado, é confinar a religião a esfera do indivíduo, ou de pequenos grupos. Talvez haja alguma conotação negativa com a afirmação "confinar", mas é essencialmente isso. Há diversos posicionamentos religiosos que vão contra o estado laico, e portanto devem ser confinados a estas congregações/cultos/seitas/etc.

Naturalmente, nas posições dos indivíduos, sua religiosidade vai se manifestar, inclusive por ser a religião um conjunto, que inclui valores morais e éticos, dogmas e códigos de conduta. Mas estes posicionamentos, como por exemplo o homofóbico, devem ficar restritos ao indivíduo/grupo. Em uma discussão a nível sociedade, todos os setores devem ser respeitados e levados em consideração, para atingir o consenso, e respeitar as liberdades individuais (sejam elas quais forem). Um pastor-deputado, por exemplo, não pode manifestar opiniões homofóbicas no plenário, pois está ferindo a laicidade e o respeito com outrem, homossexual no caso. Religião é para ser mantida na esfera pessoal, não governamental.

Portanto, a laicidade do estado deve estar pautada no respeito as escolhas do individuo, que devem sobrepujar os dogmas, moral e éticas em favor da compreensão e respeito, mesmo que haja desacordo.

Claro, que isso exige uma maturidade intelectual muito elevada, o que não se vê na política neste momento.

Ahoy

G

galdino Tue 31 Mar 2015 4:56AM

gente, eu dou apoio total à complementação do atual tópico do programa sobre estado laico com um texto parecido com esse que @felipesouza colocou aqui. belíssima contribuição, e mais um reforço para minha vontade (que sabe-se quando será concretizada) de ler alcorão

DM

David Marques Tue 31 Mar 2015 4:29PM

Sou David Marques, da cidade Rio de Janeiro.
Me classifico como Deísta, não consigo seguir religião devida as deturpações. Fora isso, o todas as religiões devem ter suas identidades respeitadas e representadas na sociedade.
Outro ponto que defendo é o nacionalismo entre as crenças afro, cristão e indígenas, resgatar e preservar os valores culturais que foram a base de nosso país, e incentivar o estudo e organização perante as instituições.

G

Givaldo Tue 7 Apr 2015 7:07PM

O Alcorão tem feito alguns fãs aqui, e a citação feita pelo @felipesouza foi muito feliz nessa empreita.
Não vejo problemas em citar um texto religioso para tentar mostar que devemos agir de forma liberal com toda fé e não-fé. Impor a não-fé ou obrigar o escamoteamento da fé para um espaço restrito, exclusivo e escondido, sob a alegação de evitar uma "contaminação" do cenário social é tão violento quanto propagar e obrigar a adoção uma fé em detrimento de todas as outras.
O segredo - e acho que nós aqui vamos discutir como desvelar esse segredo - é como cada um, na sua linha de pensamento, pode alcançar um objetivo que contemple a todos através da organização social - pelos meios que forem lançados mão pra isso se concretizar.